quinta-feira, 1 de abril de 2010

Professores em greve dão "aula de baderna"

Todo o Brasil continua assistindo os professores do Estado de São Paulo, representados pela APEOESP e pela CUT, numa greve política contra o governador José Serra. Durante as manifestações, tivemos professores desrespeitando a lei, agredindo policiais, ameaçando de morte o governador e até queimando livros, como faziam os nazistas no início do século XX.

Notem a semelhança nas fotos:


O Senador Cristóvão Buarque disse, através do Twitter, que professores queimando livros é uma imagem assustadora e vergonhosa.

E os nossos alunos, o que pensam sobre essa “aula de baderna” ministrava pelos professores? Saímos às ruas para fazer essa pergunta ao corpo discente das escolas estaduais. 

Maria Caroline (2º ano): Eu acho uma lástima, pois o que está acontecendo é uma verdadeira baderna, isso não pode servir de exemplo pra ninguém. Se eles querem passar um bom exemplo para os alunos e para seus filhos, eles não poderiam ter essas atitudes que estamos vendo. As novas gerações correm o risco de crescer e seguir esse mau exemplo.




 
Daniele (2º ano): Eu acho que a atitude que eles estão tendo é errada, pois o dever dos professores é ensinar os alunos, não é praticar atos de vandalismo. Aqui na Escola Zulmira, pelo que eu saiba não tivemos casos de professores participando dos atos de vandalismo, mas alguns professores ainda estão em greve. Quem acaba sendo prejudicado são os próprios alunos, pois os professores eventuais (substitutos) muitas vezes não passam o conteúdo que nós precisamos aprender. Eu quero que essa greve se acabe logo.


João Victor (2º ano): Totalmente errado, pois vivemos num país democrático, onde só se resolvem as coisas na conversa, mas infelizmente não é isso que vem acontecendo na greve. Além do mais, os alunos estão perdendo, pois as aulas precisarão ser repostas.



Matéria publicada no Jornal A Gazeta Notícias, Ano III - Edição nº 136, em 01 de abril de 2010 - página A08.
Everton do N. Siqueira

Nenhum comentário: