sábado, 20 de março de 2010

20 de março - Dia da Hipocrisia Eco-Fascista!

Hoje, dia 20 de março é o Dia Internacional Sem Carne, iniciativa criada em 1985 pela FARM (Farm Animal Reform Movement) tem a finalidade de incentivar o não consumo de carne pelos seres humanos para promover uma  suposta defesa aos animais.

A cada dia que passa, mais pessoas aderem a esse tipo de dieta e, pior, a esse tipo de pensamento marxista que quer colocar o ser humano no mesmo patamar que os animais.

O mais ridículo é que, ao mesmo tempo em que clamam por justiça contra os animais criando o "Dia sem Carne", o "Dia da Mata", o "Dia do Capim" e outros tantos feriados eco-fascistas, os comunistas também avançam pela liberação do aborto, assassinando seres humanos ainda no ventre de suas mães.

QUANTA HIPOCRISIA: Matar animal não pode, pisar na grama não pode porque vai maltratar a linda plantinha, arrancar uma flor para presentar uma mulher é quase um crime porque a "pobrezinha" da senhora flor estará sendo assassinada e arrancada por um terrível predador (o ser humano), comer carne também não pode porque a cada pedaço que comemos estamos nos assemelhando a abutres, mas matar SERES HUMANOS pode, mesmo que sejam seres humanos indefesos e inocentes que sequer tiveram tempo de olhar para o céu ou admirar as estrelas antes de serem assassinados. Esse dia deveria se chamar Dia Internacional da Hipocrisia!

Outra hipocrisia existente é a crítica que a sociedade faz ao jejum, à penitência, ao sacrifício feito pelos cristãos, tendo como meta fins espirituais.

Ficar sem comer para salvar animais, ou para manter um "corpinho sarado" é uma atitude vista com bons olhos pela sociedade, ao passo que jejuar na Sexta-Feira Santa porque a Igreja assim determina é algo "quadrado", "antiquado" e "careta". Pode-se ficar sem comer pra economizar dinheiro, pra manter a saúde, para salvar animais e por qualquer outro motivo, uma modelo pode desmaiar na passarela por ter ficado duas ou três semanas alimentada à base de pão e azeitona sem receber a menor crítica, mas se for um jejum cristão, tendo como meta a busca pela santificação, a mídia e a sociedade conseguem fazer uma chuva de críticas pois alegam que a Igreja é masoquista, exploradora, antiquada e incentiva seus fiéis a ficarem mal-nutridos, mal alimentados e terem dores de cabeça, dores no estômago, ainda que o fiel façam apenas um jejum simples, como por ex ficar sem tomar o café da manhã.

A penitência também é coisa proibida aos olhos dos politicamente-corretos. Rezar de joelhos já se tornou uma atitude medonha pois pode causar dores no joelho, problemas nos ossos da perna e tantas outras coisas mais, mas ajoelhar-se por horas numa academia, numa aula de artes marciais é algo totalmente normal. Ir a pé até Aparecida do Norte para fazer um sacrifício de fins espirituais é uma tortura, inadimissível, e logo saem nos jornais que a "Igreja tortura seus fiéis", mas ficar duas horas numa academia fazendo exercícios, ou fazer caminhada todas as manhãs é tão incentivado que existem dias especialmente reservados a isso.

Não estou aqui criticando quem faz dieta, quem frequenta academia ou quem faz caminhada todos os dias, ou mesmo quem deixa de comer carne para cuidar da saúde...Quem quiser fazer isso com a finalidade de cuidar da saúde, que o faça, mas por favor: DEIXEM EM PAZ quem faz a mesma coisa tendo como fim os seus motivos religiosos e espirituais!

"Fazei penitência porque está próximo o Reino dos céus". (Mt 3,2)

sábado, 6 de março de 2010

Campanha da Fraternidade converte?

Vídeo simples que mostra a incompatibilidade entre o tempo quaresmal e a Campanha da Fraternidade: