quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Camisinha, Diu, Laqueadura – O perigo mora ao lado

Já não bastasse a promoção gratuita da promiscuidade e da prostituição, que ocorreu no Calçadão Doutor Pinheiro, no Dia dos Namorados, agora, novamente a comunidade cristã se envergonha de ver a Secretaria da Saúde (que deveria cuidar da saúde das pessoas) promovendo novamente uma sexualidade vã e promiscua.

Para quem não se recorda, dia 12 de junho, funcionários da Secretaria da Saúde estiveram no Calçadão Dr. Pinheiro distribuindo preservativos para que os casais de namorados cometessem o pecado da luxúria com o total apoio dos órgãos públicos.

A vergonha agora foi maior: durante a FAI, Festa do Aniversário de Itapeva, onde a grande maioria vai para se divertir e prestigiar os talentos artísticos dos cantores, funcionários do SAE (Serviço de Assistência Especializada (sic) em Moléstias Infecciosas) distribuíram, segundo a enfermeira Rosani Pontes, cerca de 5 mil preservativos aos presentes no local. Além de promover a sexualidade imoral, ainda atrapalham a festa, como se dissessem: “Não fique aqui na festa vendo os cantores, vá para o motel”.

Mas a imoralidade não pára por aí, dia 08 de setembro houve uma “formação”, feita pela enfermeira Regina Célia César, do Ambulatório Municipal de Saúde Materno, cujo tema foi “Planejamento Familiar” (Entenda-se controle de natalidade), onde foram abordados temas como laqueadura (método imoral, no qual a mulher pode fazer sexo de maneira luxuriosa, sem o “perigo” de gerar novos filhos – afinal, para eles um filho é apenas um incomodo não é mesmo?), o uso de preservativos (método que promove a promiscuidade e a luxúria de modo globalizado e desenfreado), o DIU (método abortivo, que mata o embrião já fecundado quando ele está a se fixar no útero da mulher), dentre outros.

O mais triste, não é saber das imoralidades promovidas pela Secretaria da Saúde, mas sim, ver que poucos são os cristãos verdadeiros, que se manifestaram contra essas barbaridades.

“O que me incomoda não é o grito dos maus, mas sim o silêncio dos bons” (Martin Luther King)

"Este povo somente me honra com os lábios; seu coração, porém, está longe de mim". (Mt 15,8).

Everton do N. Siqueira

everton2040@paroquiapiedade.com.br

Artigo publicado no Jornal A Gazeta Notícias, dia 01 de outubro de 2009.