sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Quando fecham-se as cortinas

Quando fecham-se as cortinas
aquele artista, antes sorrindo
agora fecha-se em uma sala
apenas quatro paredes
vêem sua angústia.

Quando fecham-se as cortinas
o palhaço se revela
um eremita descontente
com sua alegria
talvez até inexistente.

Quando fecham-se as cortinas
o mágico procura descobrir
sem o uso de seus poderes
qual seria o truque
para lhe trazer de volta
a sua felicidade

Quando fecham-se as páginas
de um livro...
de poesia talvez.
Tantas foram as que li
chorando..
escrevi chorando...
e chorando se foi
até minha felicidade.

Quando fecham-se as páginas
deste incrível livro de poesias.
O poeta
solitário, infeliz sem poderes
revela-se
o ator...
o palhaço...
o mágico...
pois sente-se feliz em saber
que tem o dom da poesia
e o usa para conquistar
atrizes, palhaças, mágicas
ou até mesmo
poetizas

Quando a poetiza abre as cortinas...

Autor: Everton do N. Siqueira
Meu Twitter: @everton2040

Obs: Poema antigo, que escrevi por volta do ano 2000.

Nenhum comentário: